Quanto custa um advogado trabalhista?

Quanto custa um advogado trabalhista?
3 meses atrás

Ao procurar por um advogado trabalhista, é comum que passe algumas dúvidas a respeito do assunto. Mas, de todas elas, com certeza a mais comum diz respeito a quanto custa um advogado trabalhista.

Por mais que seja algo do qual você se vê na obrigação de contratar, isso não quer dizer que não se pode procurar saber a média que geralmente se cobra. No entanto, quanto a esse assunto, há algumas coisas a se considerar.

Primeiro que, como se trata de uma prestação de serviço, cada advogado pode cobrar o valor que achar justo pelo seu trabalho. Isso quer dizer que é um tanto difícil afirmar que o preço é X ou Y.

É possível obter uma estimativa do valor. Mas, para que isso aconteça, é necessário levar em consideração alguns fatores, os quais iremos colocar em pauta no decorrer deste artigo. Confira.

Descubra o preço de um advogado trabalhista

Se você está com o intuito de descobrir o preço de um advogado trabalhista, saiba que há algumas coisas das quais deve levar em conta, uma vez que o valor pode variar bastante de acordo com inúmeras questões. Iremos falar com mais detalhe a seguir.

Quanto custa um advogado trabalhista: fatores que deve considerar

Cada advogado tem o livre arbítrio de cobrar os valores que achar mais adequado, uma vez que cada um sabe quais resultados é capaz de proporcionar. Esse é um dos motivos que fazem os valores variarem bastante.

No entanto, até mesmo para que o consumidor possa ter uma previsibilidade de gastos, é interessante que se tenha ao menos uma base de quais serão os valores cobrados.

Por isso, nos tópicos seguintes, iremos falar um pouco mais sobre alguns dos fatores que se deve considerar.

Tabela por estado

A primeira e principal coisa que se deve atentar diz respeito à região onde você pretende contratar esse serviço. E isso acontece porque cada local possui uma tabela de valores às quais os advogados estão sujeitos.

Cada estado está sujeito aos valores dispostos na tabela, a qual é emitida pela Ordem dos Advogados do Brasil de cada Estado. Por isso, a primeira coisa que se deve procurar é essa tabela.

No entanto, é válido salientar que nem todos os profissionais seguem à risca tudo o que está descrito nesta tabela, uma vez que pode variar de acordo com o tamanho de cada ação e outras características.

Advogados que trabalham com risco

Outro fator a se considerar é se o seu advogado atua com risco, mas o que exatamente isso quer dizer? Em suma, trata-se do profissional que não cobra qualquer valor de entrada ou mensal durante a tramitação do processo.

Mas, quando é feito um acordo pela justiça, o profissional cobra um percentual. Na maioria das vezes, a porcentagem varia entre 20% e 30%, mas isso depende do profissional.

Isso quer dizer que, supondo que a sua ação rendeu R$5.000,00, e o advogado cobre o percentual de 30%, o valor que deve ser repassado ao advogado é de R$1.500,00.

Advogados que cobram entrada + porcentagem

Nesse caso, são os profissionais que cobram um valor de entrada e mais a porcentagem, quando sair o acordo pela justiça. Na maioria dos casos, cobra-se entre R$400,00 e R$800,00.

Em relação a porcentagem, ela também varia entre 20% e 30%, que é o percentual que está nas tabelas estaduais da OAB.

E como funciona no caso de perder o processo trabalhista?

Isso vai depender da forma com que o advogado cobra pelo seu serviço. No caso de requerer apenas a porcentagem, se a justiça concretizar que o empregador não precisa fazer nenhum acordo de ordem pecuniária, o advogado também não recebe nada.

Agora, nos casos em que o advogado trabalha com entrada + porcentagem, o consumidor deve pagar apenas o valor referente à entrada.

Como escolher um advogado trabalhista

Agora que você já entendeu quanto custa um advogado trabalhista, o próximo passo é saber quais critérios avaliar antes de escolher o melhor profissional para cuidar da sua causa.

Dentre os principais requisitos, podemos citar os seguintes:

Verifique se ele tem o registro na OAB e todas as autorizações necessárias

É verdade que ter uma orientação faz toda a diferença, mas desde que ela seja especializada. Por isso, tenha a certeza de que a pessoa adequada está advogando a sua causa.

Para isso, nunca deixe de averiguar se o profissional tem o registro na OAB, no conselho do estado e todas as demais autorizações para atuar.

Converse com o advogado pessoalmente antes da contratação

Como a grande maioria trabalha com risco, os advogados só procuram pegar as causas onde se tem a certeza do sucesso. Por isso, nunca deixe de conversar pessoalmente com o profissional.

Através desse diálogo, torna-se possível definir se a causa é passível de sucesso e, se sim, será mais fácil iniciar a sua ação trabalhista.